Archive for Dezembro 2007

"Dig, Lazarus, Dig!!!"


A minha primeira vez foi com o Nick Cave.
Já lá vão muitos anos e depois dele vieram muitos. Dezenas, talvez centenas.
Mas não há vez como a primeira!

Como ainda andava pela pré-adolescência, foi difícil convencer os meus pais. Mas depois de muita insistência - talvez vencidos pelo cansaço - lá cederam e fui transportada de Vila do Conde até ao Porto, com mais 10 amigos, num camião de caixa aberta. Claro que íamos todos "na caixa".

Quase parece um ritual de iniciação e provação.
Imaginem-se uma adolescente de 13 anos. Agora, imaginem qual é a pior coisa que poderia acontecer?
Serem descarregados, em frente ao Coliseu do Porto, antes de um concerto cheio de gente, de uma caixa aberta, de um camião.

Era isso ou não ir ao concerto. E a ideia de sair do camião, na esquina anterior, claro que estava fora de questão. Porque com o senhor meu pai, as coisas são para ser assumidas até ao fim. Sem vergonhas.

Adorei o concerto, claro! E por sorte fiquei, juntamente com uma série de meninas novinhas e giras, entre as grades e o palco. Um confortável privilégio, portanto.

Para mim aquilo era como ouvir o CD, mas melhor, porque tinha ali o Nicolau a cantar em directo. Incomodou-me o histerismo das meninas, que não se conformavam com o facto de eu não tocar no Nick. Senti-me de tal forma pressionada, que lá lhe fui passando a mão pelo pêlo, porque já me começava a sentir como uma Benfiquista infiltrada numa claque do F.C.P.

Mas o que me vai ficar desse concerto, é a história de uma rapariga gótica, de cabelos até aos pés, que conheci nessa noite. Dizia estar muito contente, por estar ali juntinho ao palco e com um pouco de sorte, no fim, escolhiam algumas para ir aos bastidores. Até estremeci de alegria, com a ideia de estar com o Nick, poder fazer-lhe perguntas, conversar com ele... Tocar-lhe ainda era como o outro, mas conversar com ele, isso sim, seria altamente... No meio do seu histerismo e entusiasmo, a tal rapariga, que na altura me parecia mais velha que eu, e por isso teria no máximo 15 anos, contou-me que tinha perdido a virgindade com o baterista dos Tarântula (ou coisa que o valha) e que nessa noite esperava poder "estar" com o Nick ou com o Blixa.

Já tinha tido que ir na caixa aberta de um camião, já tinha tido que tocar no Nick Cave para não ser linchada, mas a ideia de ser a escolhida para ir fazer um "servicinho" a algum dos Bad Seeds causou-me algum desconforto. Não é que eu não gostasse deles, mas parecia-me demais.
Portanto, antes do primeiro "ancore", pus-me na alheta, porque com a minha sorte, lá ia ser eu a escolhida e como é que eu ia dizer que não, à frente daquelas fãs histéricas? É chato...

E isto para dizer que o Nick Cave vai lançar álbum em Março de 2008: "Dig, Lazarus, Dig!!!"
Espero que venha à Península Ibérica. Se assim for, pego na minha amiga Lu - Clarita, para a Blogosfera - e qual adolescentes vamos vê-lo.

Desta vez fico até ao fim.

Pequenina e Ajeitadinha


Quando andava no ciclo, a minha amiga Carolina, emprestava-me a Reader's Digest. Pilhas delas. Não sei bem porquê, ler aquilo, quase me sabia a pecado. O facto de ter forma de livro, dava-lhe uma credibilidade incrível e o seu conteúdo "variado", tornava-a apetecível à leitura.

Ainda hoje me parece uma revista estranha.

Lembrei-me dela a propósito do último post que escrevi, com uma pitada de testemunho real, um pouco de ciência e um toque de espiritualidade. Ahahah...

Já agora, nunca mais ninguém viu a minha amiga Carolina, mas há rumores de que continua com um rabo enormeeee!
Mas não sei, não a vejo há tanto tempo... (suspiro)

Mais Vale Ser Alegre Que Ser Triste...


Um amigo passou um período difícil na sua vida. Consequentemente queixava-se de uma série de problemas. Doia-lhe a cabeça, doia-lhe isto e aquilo, fartava-se de chorar, blablabla... Falou com um amigo médico, que com uma grande naturalidade lhe receitou Xanax, lhe disse que estava com uma depressão e que aquilo a ia ajudar e que, hoje em dia, todos o faziam!

OK, se todos o fazem...

Resumindo: se estás com problemas, droga-te até não conseguires andar de pé e espera que se resolvam sozinhos.

Esta treta toda a propósito do que vem a seguir.

"O stress inibe o sistema imunitário e é um factor que contribui para a maioria das doenças. O organismo desenvolverá sintomas de desgaste e sofrimento, especialmente no que se refere aos órgãos envolvidos. Hipertensão, doenças cardíacas, doenças renais, problemas gastrointestinais, úlceras, dores de cabeça, insónias, depressão e ansiedade, são algumas das doenças que se podem desenvolver. Se esse tipo de situação se arrastar por muito tempo, o resultado é a exaustão.
Há uma forte hipótese de, se tiver algum leve problema de saúde, ele seja agravado pelo stress. “Hoje, pelo menos três quartos de todos aqueles que vão ao médico apresentam queixas relacionadas com o stress,” escreveram Terry Looker e Olga Gregson no seu livro Managing Stress (Controlando o Stress). As pessoas procuram alívio nos tranquilizantes e antidepressivos, que totalizam um quarto de todas as receitas médicas dos Estados Unidos."

(resto do artigo em:
http://www.saudelar.com/edicoes/2001/outubro/principal.asp?
send=stress1.htm)



O Homem do Bigode


Há coisas que me causam uma irritação semelhante, ao do bater continuo de um metal (por exemplo), no tampo de uma mesa...

Acontece muitas vezes nos Telejornais, a propósito de algum "mega acontecimento", pegar em meia dúzia de desgraçados, de preferência com bigode (quer seja homem ou mulher), desdentados, mal vestidos e que falem mal português e fazerem-lhes perguntas difíceis.

Sabe quem é Robert Mugabe? E sabe do que se vai falar nesta Cimeira? Mas o Cavaco Silva sabe quem é?

Ora bem, eu sei o que estas pessoas vão responder, tu sabes o que elas vão responder e o jornalista também sabe também...

So, what's the point? Mostrar a ignorância do povo (que possivelmente se levanta às 5 da manhã e chega a casa à noite cansado), ou um exercício quase que egocêntrico do jornalista (que muito possivelmente acabou de estudar e decorar a matéria, para a reportagem desse dia)?

Sou um bocado sensível nestas coisas e acho que é humilhação gratuita do zé-povinho, sem resultados informativos para ninguém.


Polaroid


Não é preciso ser um grande apreciador de café - basta ser português - para saber, que o café em Espanha é uma merda. Isto é algo que aos nuestros hermanos custa interiorizar (aliás, como qualquer outra coisa, que de alguma forma inferiorize o seu produto nacional. Mas isso é assunto um longo assunto, para outro dia...)
Hoje acordei em Madrid e com sono e precisava de uma bomba de cafeína.
- Hola. Me pones un café sólo, bien cortito?
- Claro, cariño.
A senhora tirou o café, despejou metade na pia e entregou-me o meu café bien cortito, por supuesto.